segunda-feira, 27 de julho de 2009

domingo, 26 de julho de 2009

MILITARES

Senhor, existem umas casas onde alguns homens vivem em comum, comendo do mesmo alimento, dormindo em leitos iguais.De manhã, a um toque de corneta se levantam para obedecer.De noite, a outro toque de corneta se deitam, obedecendo.Da vontade fizeram renuncia.Seu nome é Sacrifício.Por ofício desprezam a morte e o sofrimento físico.A beleza de suas ações é tão grande que os poetas não se cansam de celebrar.Os cineastas não se cansam de retratar.Quando eles passam juntos, fazendo barulho, os corações mais cansados sentem estremecer alguma coisa dentro de si.Nós os conhecemos por militares…Corações mesquinhos lançam-lhes em rosto o pão que comem; como se os cobres pudessem pagar a Liberdade e a Vida.Autoridades de vista curta acham-nos caros demais, como se alguma coisa houvesse mais cara que a servidão.Eles, porém, calados, continuam guardando a Nação do estrangeiro e de si mesma.Pelo preço de sua sujeição eles compram a liberdade para todos e defendem da invasão estranha e do risco dos que não conseguem viver em sociedade, dos que sucumbiram ao jugo das paixões.Se a força das coisas os impede agora de fazer em rigor tudo isto, algum dia o fizeram, algum dia o farão.E, desde hoje, é como se fizessem.Porque por definição o homem da guerra é nobre.E quando ele se põe em marcha, à sua esquerda vai a coragem, e à sua direita a disciplina.(Autor Desconhecido)
"Não é uma OBRIGAÇÃO, e sim uma HONRA e uma DETERMINAÇÃO!

ESSA É PARA RIR!!!

video

PARABÉNS!!!!!

video

Veleu amigos por me enviarem o video, ficou muito bom e a Sociedade agradece!!!

TODO MUNDO CANTA RONDA DO QUARTEIRÃO!

video

Veja só como tudo está mudando, gente que tinha medo da polícia hoje canta em sua casa, com a família e amigos!

1 ANO DE LEI SECA

Mãe!
Fui a uma festa, e me lembrei do que você me disse.Você me pediu que eu não tomasse álcool,mãe…Então, ao invés disso, tomei uma ‘Sprite’.Senti orgulho de mim mesma, e do modo como você disse que eu me sentiria e que não deveria beber e dirigir.Ao contrário do que alguns amigos me disseram, fiz uma escolha saudável, e teu conselho foi correto.E quando a festa finalmente acabou, e o pessoal começou a dirigir sem condições…Fui para o meu carro, na certeza de que iria para casa em paz ..Eu nunca poderia imaginar o que estava me aguardando, mãe…Algo que eu não poderia esperar ….Agora estou jogada na rua, e ouvi o policial dizer:O rapaz que causoueste acidente estava bêbado’…Mãe; sua voz parecia tão distante…
Meu sangue está escorrido por todos os lados e eu estou tentando com todas as minhas forças, não chorar…Posso ouvir os para-médicos dizerem:- ‘A garota vai morrer’ .Tenho certeza de que o garoto não tinha a menor idéia, enquanto ele estava a toda velocidade, afinal, ele decidiu beber e dirigir, e agora tenho que morrer..Então por que as pessoas fazem isso, mãe?Sabendo que isto vai arruinar vidas ?E agora a dor está me cortando como uma centena de facas afiadas…Diga a minha irmã para não ficar assustada, mãe!Diga ao Papai que ele seja forte. E quando eu for para o céu, escreva ‘Garotinha do Papai’ na minha sepultura.Alguém deveria ter dito aquele garoto que é errado beber e dirigir.Talvez, se seus pais tivessem dito, eu ainda estaria comPossibilidades de continuar viva.Minha respiração está ficando mais fraca, mãe, e estou realmente ficando com medo…Estes são meus momentos finais e me sinto tão despreparada ..!Eu gostaria que você pudesse me abraçar, mãe… Enquanto estouEstirada aqui, morrendo, eu gostaria de poder dizer que te amo, mãe.!Então…. Te amo e adeus…!’Estima-se, pelos dados da Organização Mundial da Saúde – OMS que ocorrem mais de 1.2 milhões de mortes anuais no trânsito mundial. São mortes regulares e freqüentes que passaram a ser aceitas como inevitáveis quando, na verdade, são evitáveis na maioria delas. Na verdade, as mortes no trânsito tornaram-se banais e indignas de comoção pública e nos meios de comunicação, salvo nos acidentes com grande número de mortos.O Brasil é um dos países com maior índice de mortes no trânsito mundial comparado a outros países. Morrem aproximadamente 40.000 PESSOAS anualmente por aqui, enquanto que na França, por exemplo, morrem 6.000 pessoas e na Inglaterra menos de 4.000 pessoas. Na China onde o trânsito é uma verdadeira guerra civil morrem 104.000 pessoas, anualmente. Considerando o número de mortes por grupo de 100.000 pessoas em El Salvador, onde praticamente inexiste lei de trânsito o índice é 42,4; na África é 28,3; no Vietnam é 27,0; no Brasil é 24,4; na Rússia é 19,9; na Coréia é 20,9; nos Estados Unidos é 15,2, no Japão onde a lei de trânsito é rigorosa o índice é 8,2 e na Inglaterra é 5,9.
TOMARA QUE VOCÊ NÃO SEJA A PRÓXIMA VÍTIMA.

MENSAGEM TRISTE!!

Sou PM do CE, trabalho em um batalhão no centro, não faço nenhuma segurança, pois acho que o estado tem que me pagar decentemente,estou muito endividado,com vários empréstimos em meu contracheque,e agora,a situação piorou e muito,não estou conseguindo mais pagar as minhas contas e nem fazer compras para alimentar a minha família,eu e minha esposa às vezes nos privamos de comer algo que é para as minhas filhas poderem comer,está realmente ficando muito difícil,juro que tentei sobreviver com o salário que o estado me paga,mas não dá.
Se estes que governam não tomarem nenhuma atitude em relação aos nossos rendimentos,eu não sei até quanto vou agüentar de ver a minha família passar necessidades,imagino eu quantos policiais militares estão passando o que estou passando,em total estado de miserabilidade,quando se diz no fundo do poço me permita corrigir,no fundo da fossa,poço lembra água limpa e a PM só é usada para resolver ou aniquilar o que eles "políticos" observam como esgoto,escória da sociedade.
Tem que haver algo a ser feito para que este quadro seja mudado,não é mais possível viver assim,acho eu que o Sr governador quer realmente acabar com a minha PM,pois eu ainda não fiz nenhuma besteira porque amo esta polícia,pois sou neto e filho dela,pois que fique aí o meu desabafo para que todos vejam e reflitam que alguma coisa tem que ser feita.

assinado pm anônimo.

terça-feira, 7 de julho de 2009

OPINIÃO DE UM LEITOR(EGIDIO SERPA)

O companheiro se enganou quando disse que trabalham 24 noites por mês,na verdade na escala 6 por 1 se trabalha 26 noites por mês,nem na ESCRAVIDÃO ou na DITADURA se trabalhava tanto assim.,Imagine esses policiais daqui a 02(dois) anos estarão 10(dez) anos mais velhos,mais estressados e enfermos e até loucos e quem vai arcar com as conseqüências é a POPULAÇAO cearense;COMO PODEMOS ACEITAR A ESCRAVIDÃO DE VOLTA EM PLENO SÉCULO XXI;DÊEM UMA OLHADA NO ESTATUTO DOS MILITARES ESTADUAIS DO CEARÁ E NO CÓDIGO PENAL MILITAR QUE VOCÊS IRÃO CONFIRMAR QUE A DITADURA AINDA PREVALECE, e como tratar bem um cidadão se vivem num regime de escravidão e ditatorial…;Pelo “amor de Deus” Egídio Serpa você é uma grande esperança de lutar por nossa classe;e saiba com toda certeza de que essa escala, quem DECRETOU foi o chefe da Casa Civil(ARIALDO não sei de quê),só sei que ele odeia a polícia e ele é dono de empresas de seguranças do nosso estado e parece que é dono também do Beach Park ele diz que a piaozada da segurança particular dele aguënta a escala de 07(SETE) por um,e que a piaozada da PM tem que agüentar 06(seis) por 01(um)por um,Ele quer essa escala para os PM`S não fazerem BICOS na folga e assim aumentar os pedidos por seguranças de suas empresas;Mas se ele quer acabar com Bicos é so AUMENTAR OS SALÁRIOS DOS POLICIAIS QUE ninguém vai se obrigar a fazer bicos na folga;E ele esquece que somos profissionais de segurança pública e concursados e exigimos dignidade e respeito, Pois somos responsáveis pela segurança de toda uma POPULAÇAO DE UM GRANDE ESTADO QUE É O CEARÁ E ELE NÃO PRECISA DE POLÍCIA POIS É RICO E TEM SEGURANÇAS PARTICULARES MAS A MAIORIA DA POPULAÇAO CEARENSE DEPENDE DE NÓS E A MAIORIA DE NOSSOS POLICIAIS SAO HONESTOS CIDADÕES E PAIS DE FAMÍLIAS E NECESSITAMOS DE UM TRATAMENTO MAIS HUMANO E TAMBÉM SALÁRIOS DIGNOS E QUE NOSSOS DIREITOS SEJAM RESPEITADOS PARA PODERMOS EXERCER NOSSAS OBRIGAÇÕES CONSTITUCIONAIS QUE É PARA O BEM DETODOS ;mais pena que ´tem gente que nao pensa assim e só pensa no seu próprio bem estar e o de suas empresas…

EGIDIO SERPA

56 ComentáriosEste blog recebeu neste domingo, 28, a seguinte carta, cujo título é “Pedido de Socorro dos Policiais Militares do Estado do Ceará”. Ei-la, na íntegra: ”Nós, Policiais Militares do Estado do Ceará, vimos por esta carta pedir socorro à Sociedade Brasileira, à Imprensa, ao Poder Legislativo e ao Ministério Público contra os verdadeiros abusos e desmandos que estão sendo feitos contra uma categoria de trabalhadores que está sendo massacrada por uma escala de serviço desumana e cruel. Ademais não podemos manifestar qualquer opinião ou insatisfação sob pena de sermos punidos com alguma reprimenda disciplinar ou com alguma movimentação indevida, por isso temos de usar deste expediente para manifestar nossa indignação. A nossa insatisfação se dá em virtude de uma escala de serviço extremamente cruel e fadigante para quem exerce a profissão de policial. A famigerada escala de 6 serviços por 1 dia de folga. Ocorre que o Governo do Estado alega que a adesão à malsinada escala é voluntária, mas o que aconteceu na prática foi que muitos policiais aderiram (se viram necessitados) na expectativa de a carga horária fosse alterada para 40 horas semanais. Ora, não se pode comparar o serviço policial com outras profissões, pois o policial ao sair de casa já está exposto à violência urbana na difícil missão de arriscar sua própria vida para combatê-la. Ora, dizer que é voluntária uma escala de serviço em que o PM pode (necessita) complementar sua renda para proporcionar um mínimo de condições dignas à sua família seria no mínimo cômico, se não fosse trágico. Muitos de nossos PMs se obrigam a passar seis noites acordados(24 noites em um mês), longe de suas casas e de sua família; cerca de 10 horas por dia ou noite, para poder ganhar míseros 352,00 ou 737,00 reais a mais no salário. Ora o Governo alega que são somente 8 horas de serviço, mas esquece, porém que muitos PMs tem que chegar mais cedo e saírem mais tarde para conferirem o material, contarem a munição , testarem o manejo do armamento, as condições da viatura,preencher relatórios etc.; isso tudo quando não estão em procedimentos em delegacias, o que acrescenta pelos menos mais 4 horas de serviço para cada serviço (sem acréscimos remuneratórios), sem exageros. As seqüelas já estão ocorrendo na tropa e com reflexos para a sociedade. Vocês já notaram que a violência urbana não diminuiu com o advento do Ronda do Quarteirão (a sensação de insegurança é a mesma)? Reflita-se um pouco! Nossos PMs estão desmotivados, com baixa auto-estima e crise de identidade. Muitos de nossos PMs estão apresentando problemas de ordem psicológica. Também estão se separando, pois chegam aos seus lares super-estressados. O índice de suicídio tem aumentado muito nos últimos dois anos(nunca foi tão grande). E não podemos gritar, não podemos chorar, somos obrigados a nos resignar, não temos o direito constitucional que todo trabalhador tem de fazer greves. Ora, até mesmo desembargadores e procuradores podem fazer uma greve demonstrando suas irresignações, suas angustias e anseios. Porém nós estamos amordaçados em pleno século XXI, em pleno Estado Democrático de Direito. Nós, os policiais de hoje, não temos culpa dos desmandos da ditadura de um passado sombrio (chega de ranço). Nós estamos pagando um preço alto demais. O que queremos não é somente uma polícia bem equipada com armamentos e carros de última geração. Nós queremos que nos dêem dignidade, melhores salários, condições dignas de moradia, de saúde para nós e nossas famílias. Queremos um plano de cargos e carreira como todo servidor público, queremos um vale alimentação acima de 4,70 reais(que não paga um PF), queremos dois fardamentos por ano a que temos direito, queremos ser tratados apenas como cidadãos brasileiros, pois no momento estamos nos sentindo sub-cidadãos. Agora senhores, vocês façam a seguinte pergunta: a sociedade cearense merece uma polícia melhor, mais educada, menos corrupta, menos truculenta e mais justa, que se faça admirar, a não ser temida e/ou somente respeitada? Então gritem por nós, reclamem por nós, clamem para nós, pois “como não dissemos nada, já não podemos dizer mais nada”.

POLICIAL MORTO EM COMBATE PODE ACONTECER COM VOCÊ! APELO DRAMÁTICO DE UMA ESPOSA, ACORDA PM.

Quero aqui, em nome de todas as esposas dos Policiais Militares, fazer uma homenagem em forma de protesto ao Sd. F. Santos do Grupamento RAIO, morto ontem 02/07 em confronto com marginais no bairro Monte Castelo.
Nós esposas que sofremos com a ausência, cada vez maior, agora com esta nova escala desumana, uma ausência dolorida de quem sai de casa e não sabe se volta, de quem dá a vida em beneficio da proteção do cidadão e é tão injustiçado e pouco valorizado, tanto pela sociedade, quanto pelo poder publico, que seja na forma de um direitos humanos utilizado de forma indevida, onde o real cidadão não tem sua assistência, seja pela própria corporação que não valoriza os praças que estão na linha de frente do confronto direto, arriscando sua vida e que não é promovido em seu tempo hábil e correto, em cumprimento há legislação, mais sim quando morto em confrontoOnde o cidadão F. Santos, só para exemplificar, tinha 14 anos de serviço e era Soldado, onde a lei de promoções diz que “ ...com 8 anos de serviço tem tempo para ser habilitado a Cabo, e com 14 anos de serviço tempo para ser habilitado a Sargento....”, e o mesmo ainda era SOLDADO sem nem habilitação de Cabo, agora MORTO, provavelmente será promovido post-mortem.....Ironia ou injustiça?
Queremos a valorização de nossos esposos em vida. Será que precisamos passar por essa dor dilacerante de perdermos os nossos maridos.Será que precisa os nossos filhos ficarem órfãos para que haja um reconhecimento e uma promoção? Não queremos aqui, que os direitos humanos vá à casa do policial, não! Até mesmo porque não vai na casa de cidadão, principalmente do cidadão policial. Queremos sim, que os direitos humanos da OAB, da Assembléia e dos movimentos sociais, deixem a inércia e passem a exigir o cumprimento do acordo feito na Assembléia pelo líder do governo de que em no máximo 180 dias se apresentaria uma nova escala de trabalho para o policial e até agora com mais de ano não se cumpriu isso.
Querem resolver o problema de décadas da segurança publica, de um déficit de homens, matando os poucos que hoje fazem o serviço, haja vista, o grande desvio de função de policiais em trabalhos meramente burocráticos. Será que não pode ser visto que até mesmo ESSA MORTE pode ter tido como causa o stress, pela falta de reflexo causada pelo acumulo de cansaço de uma escala maluca, desumana e no mínimo irresponsável. Quantos ainda terão que deixar filhos e esposas órfãos para que isso se resolva?
Apelo para que falem por quem não tem voz e nem vez, porque até esse direito constitucional de se manifestar lhe é tirado, por uma hierarquia ditadora e ultrapassada. Querer comparar o serviço de quem esta na rua, em uma linha de combate, de instabilidade e em um stress constante sem saber se volta para sua família, com o serviço de quem fica atrás de um birô, protegido em seu casulo, é realmente algo irreal, irracional e desumano; atitude tomada por quem não sabe o que é viver na rua, na linha de combate, no mundo real dessa guerra civil hoje vivida em todo o Brasil.Como ficam nossas famílias onde somente temos o nosso chefe de família, o marido, o pai, o companheiro, o conselheiro e nosso rumo e porto seguro somente uma vez por semana? (e que na grande maioria ainda coincide com dia de trabalho de suas esposas e não chegam nem a se encontrarem realmente) é a falência da família. Como querer exigir humanidade de quem é tratado de forma tão desumana como se fosse máquina ou algo sem vida própria?
Fica aqui minha dor e o meu protesto, onde a única solução é continuar rezando para que meu marido a cada dia de saída para o seu trabalho possa no seu final retornar para mim e para nossos filhos, rogando a Deus que ilumine o coração de quem está agora, colocado por nós, no poder e possam realmente cumprir seu papel e defender essa classe tão oprimida e pouco valorizada."
Rejane Holanda- Esposa de um Policial Militar do Grupo RAIO

DESABAFO DE UM POLICIAL MILITAR

DESABAFO DE UM POLICIAL MILITAR

Sou policial militar e sempre considero o tema da desmilitarização como algo sério. As polícias estaduais militarizadas desde a sua formação nem sempre levam consigo aquilo que deveria ser o benefício de uma educação militarizada. Muito pelo contrario, começam a conhecer a injustiça dentro de suas próprias instituições desde cedo, aprendendo que um superior hierárquico por mais errado que esteja não pode ser "observado" por seu subalterno, ou seja, no militarismo a hierarquia sobrepõe-se ao certo, e a critica exercida em favor da verdade(esta tão importante critica que leva ao aperfeiçoamento e correções de erros) é passível de punição..
Na formação, ou seja no curso de formação de soldados, o tratamento degradante é posto como ferramenta para a forja de obediência, na justificativa que as situações extremas levam o ser humano a gravar com mais força aquilo que quer ser ensinado. Discordo. O que me leva a discordar é que estes cursos de formação de soldados ensinam que a humilhação é parte da educação militar, o que vai de encontro a qualquer linha de pensamento amadurecida e evoluída. Um curso que ensina que ocupamos uma posição onde devemos aceitar a perseguição, a punição nem sempre justa, e esperar que todos os que passam por este tipo de formação desvalorativa exerçam com amor uma profissão que iniciou exercendo a humilhação? Os instrutores em primeiro lugar devem ser tratados como semideuses, não se pode discordar deles, e nem sempre há como gostar deles.. Não existe uma ponte entre o discente e o docente e isso não existe!! Não há aprendizados sem interação.

Deve-se pagar com respeito e reverência instrutores que humilham, perseguem, e que levam o limite do desrespeito ao extremo..isso gera respeito? Não, gera repulsa, desprezo, revolta, por mais que isso não venha a superfície pelos controles institucionais.
Um aluno de um CFSD deve ser humilhado para tratar com respeito os cidadãos que dependem de seu trabalho? Que tipo de educação humilha com a finalidade de ensinar o respeito? Apenas a educação militar, porque esta não evoluiu.. O mundo evoluiu, as ciências exatas ou não tiveram seu ganho, seu crescimento, a educação escolar assimilou este crescimento, reconhecendo as reais necessidades, abordando linhas teóricas que levam a sério o papel do aluno e do educador, e do como o ambiente de formação irá determinar as tendências de futuras práticas.. Mas o militarismo está estagnado, não sabe o que é construtivismo, apenas sabe que a regra da educação é o exercício da injustiça e que sua aceitação é de fundamental importância para se formar uma tropa que não questiona, que não denuncia, porque tem na memória que isto gera punição e não trás benefício algum.. Uma tropa de policiais militares que aceita uma formação como esta tende a se fechar para o mundo, e aceitar que sua instituição é injusta com seus membros e sempre vai ser assim, autoritária, punitiva, e não há como melhora-la.

Durante as instruções a tensão e o stress são a nota tônica diária em um CFSD. Como alguém pode aprender ou se interessar pelo aprendizado se nem sempre vê com real respeito o seu instrutor? Se está mais preocupado em não ser humilhado do que em aprender(aprender não seria a razão fundamental de um curso de formação?), se não pode questionar para construir um conhecimento junto com o seu instrutor como ocorre em universidade, escolas, instituições sérias?
Não são poucos os instrutores de que recordo que faziam do ambiente de aprendizado uma passarela da vaidade comum aos graduados e oficiais, onde eles deveriam ser temidos, louvados e temidos mais uma vez, deixando a síndrome do pequeno poder escapar, a olho nu, pelos poros. O que um ambiente deste forma? Tenho certeza que não forma pessoas que reconhecem o respeito advindo de uma boa relação como algo importante na prática diária. A qualidade do conteúdo ensinado é questionável. Empresas de segurança privada as vezes prezam mais pela formação do que algumas unidades militares. Instrutores despreparados que exercem o cargo apenas pelo fato de serem graduados (cabos ou sargentos) e oficiais e que ao menor sinal de exteriorização da atenção e da compreensão de um aluno repreendem sem razão, humilham, apenas para deixar claro a cada segundo que eles são semideuses, e que não podem ser questionados. O que estão ensinado? Estão ensinando a intolerância, e nada mais. Quem irá descobrir isso? O cidadão que irá constatar que uma formação deixa seus reflexos. Pessoas que exercem seus problemas de personalidade me pleno vapor porque são graduados e oficiais. Fazem de sua loucura a regra, e da justiça um favor que deve acontecer raramente, nos moldes de Maquiavel.

Conteúdo para aprendizado não falta. A policia brasileira e as demais policias do mundo acumularam conhecimento pratico e teórico para alimentar um curso de formação em três turnos diários, mas (absurdo!!) até o acesso a estes saberes é posto como privilégio? Sabe qual é o único modelo educacional onde isto acontece? NO MILITARISMO.. O saber é hermetizado, não deve ser de todos, para que se torne símbolo de STATUS..E quem realmente necessita do conhecimento para não cometer erros fica a ver navios.. Há cursos onde o tiro prático é mínimo, e sabe o que os comandantes que são responsáveis por este s cursos dizem? Que houve instrução, instrução suficiente(dizem isto porque sua competência como comandante está em cheque se der outra resposta, e a mentira e conivência mantém sua reputação inabalada) e que se um policial erra, deve ser punido, deve ser expulso da PM, que é um bandido, e que ele(o comandante) com prazer irá exercer a justiça nos casos de erro.. A justiça, oferecida em doses miseráveis e duvidosas. Existem centros de excelência na formação policial? Sim, existem. Mas estes não devem ser tratados como regra, porque a maioria não é. Já foi pior? Isso não justifica o impedimento de melhoras. Quando Sun Tzu fala da importância do treinamento e de como o suor derramado nele poupara a vida no futuro, este suor é interpretado apenas como TFM sem repouso(repouso, tão importante quanto o exercício, vide Fadiga em combate, de Heitor Freire de Abreu). Não há conteúdo suficiente no currículo dos instrutores para que haja outra instrução?

Mas o que dizem os Oficiais? Que existe formação, e formação suficiente. Uma mentira. Dizem isso para não parecerem incompetentes, para não perderem favores políticos.. Se omitir, se corromper ou ir para a guerra? Isto é cinema? De onde vem o exemplo de corrupção dentro de nossas instituições? Quem vende o controle do rebanho a um telefonema de um vereador, e que para receber favores diz que o certo está errado e que o errado está certo? Sim há corrupção na policia, porque não há como ela estar dentro da sociedade brasileira e não herdar dela algumas características. A policia do Brasil é composta de brasileiros, por mais que os brasileiros finjam que não. As ciladas jurídicas e o exercício do preconceito contra policiais que trabalham em uma situação de guerra em tempos de paz fazem que logo cedo se entenda que o que se lê como omissão é na verdade a posição mais segura diante do sistema que oferece a cabeça de um policial como Herodes ofereceu a de João Batista diante da dança cheia de promessas de uma puta.E temos muitas putas para isso.E quando estas faltam,seus filhos dão conta do recado. E o que dizem os oficiais a respeito da desmilitarização? A mesma coisa que diziam os senhores de escravos sobre a abolição. Que é necessário controlar. Que este é o único meio de controlar. Alardam revoltas, indisciplinas, e casos onde o militarismo é a única resposta. E quando a revolta é fruto do militarismo? E quando a indisciplina é a voz de um ser humano que não consegue conter dentro de si o asco que tem diante das injustiças? Oficiais não querem perder o rebanho de escravos puníveis que tem a sua disposição. Mas querem saber? Eles irão perder. Não sei quantos João Batistas decapitados e esquecidos serão necessários para profetizar isso. Mas irão perder sim.

Sabe qual foi a justificativa dos Oficiais da marinha sobre o uso da chibata que culminou com o episódio “revolta da chibata”? Que a chibata era o único meio de controle e disciplina viável para as coisas funcionarem. Mas sabe o que é mais forte do que isso? É o contagio do NÃO a injustiça. Dizer não a injustiça por mais cheirosa, bem vestida e apresentável que ela seja. Sei que os relatórios que se fazem contra a desmilitarização são entregues por pessoas assim nas mãos de políticos, e os políticos olham e pensam: “bem se um homem tão decente, apresentável, insignado, apresenta números tão horríveis sobre Inquéritos administrativos, ele deve estar certo: o militarismo é o único controle viável.” Talvez se os deputados e senadores conhecessem a metade das historias de injustiça e perseguição que o mais recruta dos soldados conhece, talvez se nos mudássemos a condição de narrativa discreta sobre o que ocorre dentro de nossas instituições, como um folclore maldito, que ensina como um mito grego verdades mentirosas, que perpetuam a viabilidade da injustiça, talvez se narrássemos e dermos voz aos absurdos, os homens bem vestidos, cheirosos, respeitosos, que entregam relatórios que desacreditam na viabilidade da desmilitarização fossem questionados, e a voz neste momento considerada insurgente de “God save the queen,Her fascist regime;It made you a moron,A potential H bomb” fosse ouvida de alguma forma.Porque algumas unidades militares no brasil são o que restou do fascismo, aquartelado, maquiado. E só.